Notícias em Destaque

Aposentados e pensionistas que ganham mais de um salário mínimo terão reajuste de 3,43% no benefício. A Portaria foi publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (16) e, com isso, o teto para do INSS passa de R$ 5.645,80 para R$ 5.839,45.

Pela lei, o índice de reajuste é estabelecido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior.

Em 2019, o reajuste foi menor do que o do salário mínimo (4,61%), que passou de R$ 954 para R$ 998, no último dia 1º de janeiro.

Os beneficiários do Cemig Saúde ganharam mais uma opção de convênio de farmácia no Norte de Minas. Trata-se da rede de drogarias Minas Brasil, que possui 40 unidades entre as cidades de Montes Claros, Janaúba, Salinas, Januária, Capitão Enéias, Bocaiúva e Jaíba. Além da Drogaria Minas Brasil, em Montes Claros já existia a opção da Drogaria Pacheco.

Conforme ressaltou a diretoria da Cemig Saúde, a parceria vai proporcionar mais conforto e praticidade para a compra de medicamentos naquela região. Para fazer uso do convênio, o beneficiário deve apresentar a carteira do plano de saúde, acompanhada de documento de identidade e receita médica.

A Cemig Saúde orienta os usuários, sempre que possível, comprar medicamentos na rede credenciada porque dessa forma o beneficiários paga somente o valor da coparticipação, que é descontado no contracheque, e não precisa solicitar reembolso.

Clique aqui e confira a unidade credenciada mais próxima.

Depois de um ano marcado por ajustes e muitos desafios, a Diretoria Executiva da AEA-MG projeta avanços em ações para 2019. Entre as principais metas estão propostas como a alteração do Estatuto, implantação de software de gestão e o levantamento dos bens da Associação, criação de escritório no Sul de Minas, parcerias com prestadores de serviço e comércio em geral, entre outras.

Nesses primeiros 12 meses de atuação da gestão 2018/2020, algumas ações já foram iniciadas, como o trabalho de análise e possível reformulação do Estatuto da AEA. Pretende-se, com a medida, atualizar o documento para que as ações sejam norteadas por diretrizes mais objetivas e modernas.

“Foi criado um grupo de trabalho que tem se reunido para avaliar os dispositivos do Estatuto que podem ser ajustados”, conta Edi Ângelo, Diretor Administrativo da AEA.

Ainda na gestão anterior, foi elaborada uma minuta do documento que será o ponto de partida do grupo de trabalho. Posteriormente, será encaminhada a membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal, para análise e sugestões. Após esta fase, o material será enviado à Diretoria. Se aprovado, todos os associados receberão uma versão do Estatuto para que possam examiná-lo e, se for o caso, apresentar sugestões.

“A última fase será submeter o documento à apreciação dos associados, em Assembleia Geral. A estimativa é a de que o trabalho seja finalizado até junho de 2019”, projeta Edi Ângelo.

ÁREA FINANCEIRA

Outra ação iniciada neste ano foram os ajustes na área financeira. “Verificamos a necessidade de desenvolver um trabalho para que pudéssemos ter o total controle financeiro da AEA. Inicialmente, a ideia era implantar um software de gestão, mas adiamos esta ação para o próximo ano. Com isso, criamos um banco de dados contendo todas as informações que precisamos sobre as finanças da AEA, para agilizarmos o processamento das informações”, relata Ana Lúcia Rodrigues, Diretora Financeira da AEA-MG.

Com a medida, os gastos da Associação encontram-se administrados, o que possibilita ter controle sobre todas as finanças da Instituição. “Sabemos quanto custa cada escritório do interior, cada manutenção e reparo, o custo de cada conselheiro para comparecer a Belo Horizonte, entre as demais despesas”, exemplifica Ana Lúcia.

Para o próximo ano, a expectativa da área financeira é implantar o software de gestão visando à otimização dos recursos da AEA, com o adequado acompanhamento de fluxo de caixa no curto, médio e longo prazos. Além do software, será apresentado o resultado do levantamento físico dos bens com o ajuste do patrimônio da AEA.

“Em Belo Horizonte e nos Escritórios do Interior, iniciamos o levantamento do Ativo Imobilizado e Intangível. Pelos levantamentos iniciais, observamos que o valor patrimonial contabilizado hoje é irreal. Quando terminarmos o levantamento dos bens, teremos também o controle efetivo de todo o nosso patrimônio”, explica Ana Lúcia.

IMPLANTAÇÃO DE ESCRITÓRIO NO SUL DE MINAS

Um dos novatos da atual gestão, o Diretor de Interior, Wilcks Campos Filho, utilizou parte do ano para conhecer a estrutura da AEA espalhada por Minas Gerais. Atualmente, há Escritórios em sete municípios, e a possibilidade de implantação de mais um, no Sul de Minas.

“Além de dar plantão semanal em Juiz de Fora, visitei São João del Rei, Uberaba, Uberlândia e Governador Valadares. Para 2019, estão programadas viagens a Divinópolis e Montes Claros e outras cidades junto com o Integra AEA ou em parceria com a Cemig Saude”, diz.

Simultaneamente às visitas, Wilcks trabalhou em outras frentes, como escolha do novo representante de Barbacena e das atividades e eventos desenvolvidos ao longo do ano nas sedes. “Estamos avaliando a possibilidade de mudança de local dos Escritórios de Uberaba e Montes Claros e intensificamos as tratativas para implantação do Escritório no Sul de Minas”, revela.

A criação de um novo escritório é uma ideia antiga e fruto de diversas solicitações, devido à necessidade e importância estratégica da região, particularmente em Varginha ou Pouso Alegre. “Em novembro passado, encaminhamos pedido à Cemig para cessão de uma sala nas dependências da empresa em Varginha. Estamos aguardando a resposta”, informa.

A Diretoria da AEA-MG está trabalhando para oferecer aos associados serviços de confiança e qualidade por preços mais acessíveis. Até o momento, já foram firmados alguns convênios, e a expectativa para o próximo ano é aumentar o número de opções, em Belo Horizonte e no interior.

“Já temos parceria com ótica, escritório de advocacia e uma rede de hotéis. Além dessas, há novos contratos sendo avaliados pela nossa Diretoria”, explica Milton Pinto de Andrade, Diretor de Intercâmbio da AEA-MG.

Desde outubro, associados e ascendentes e descendentes de primeiro grau têm acesso a serviços e produtos da Ótica Firenze com descontos de até 20%. Com duas unidades em Belo Horizonte, a ótica oferece lentes corretivas em geral, óculos solares e esportivos, acessórios, serviços de ajustes, manutenção, reparos e substituição de peças, entre outros.

Para ter direito ao desconto, deve-se apresentar o vínculo com a AEA-MG (carteirinha de sócio e identidade). No caso de cônjuges e dependentes, comprovar, também, o vínculo familiar.

ADVOCACIA

Além da Ótica Firenze, os associados também terão acesso a assistência jurídica da MMG Advocacia, por um preço menor do que o praticado no mercado. O desconto é para associados e descendentes e ascendentes de primeiro grau, mediante comprovação de vínculo com a AEA e/ou familiar.

A MMG Advocacia atua nas áreas cível, trabalhista, previdenciária, tributária e direito do consumidor.

HOTEL

O último convênio firmado em 2018 foi com o Royal Center Hotel, que conta com unidades em Belo Horizonte e várias cidades do Brasil. A parceria prevê descontos e outras vantagens em hospedagens para associados e dependentes.

 

Pelo menos 21% da população idosa que já se aposentou continua ativa no mercado de trabalho, mostrou pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Segundo o levantamento, 47% dos aposentados que ainda trabalham estão nesta situação por necessidade financeira – ou seja, o valor do benefício do INSS não é suficiente para pagar as contas. Destes, 45% são das classes A/B e 48% das classes C/D/E.

Outros 48% dos consultados responderam que trabalham porque desejam se sentir produtivos nesta etapa da vida – em especial os que pertencem à faixa de renda maior (classes A/B), que são 58%.

A pesquisa consultou brasileiros acima de 60 anos, em todas as capitais e de todas as classes sociais e nível de escolaridade, entre os dias 7 e 20 de agosto.

Dificuldade em obter um emprego

A pesquisa do SPC também mostrou que 43% dos aposentados tiveram dificuldade em conseguir um emprego: 30% deles acreditam que o motivo é o preconceito pela idade avançada. Contudo, outros 57% dizem não ter tido problemas em conseguir trabalho.

Mais da metade destes trabalhadores (61%) não soube responder até que idade pretendem continuar na ativa. Entre os que têm uma ideia de quando vão parar, a idade média foi de 74 anos.

No estudo, a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, observou que esse cenário reflete o aumento da expectativa de vida no Brasil. “Percebe-se, muitas vezes, que os idosos não se prepararam para este momento e os ganhos com a aposentadoria acabam não sendo suficientes para manter o padrão de vida desejado".

Lares sustentados por idosos

Nove em cada dez (91%) idosos acima de 60 anos contribuem financeiramente com o orçamento familiar, mostrou também a pesquisa. Destes, 43% são os principais responsáveis pelo sustento da casa.

Ainda segundo o SPC, 34% dos consultados recebem algum tipo de custeio. Este percentual sobe para 40% entre as mulheres, com a renda, em maior parte, de pensão por falecimento do cônjuge (15%) ou de familiares (15%).

1 em cada 4 idosos na ativa têm carteira assinada

Em outubro, matéria do G1 mostrou que, mesmo o percentual de pessoas acima de 60 anos no mercado de trabalho venha crescendo – bateu o recorde de 7,9% no segundo trimestre, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – apenas 26% têm carteira assinada. A maior parte ainda está na informalidade ou em ocupações por conta própria.

A faixa etária mais excluída do mercado formal é também a que mais sofreu com o fechamento de vagas com carteira assinada, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Em agosto, enquanto a faixa etária até 39 anos criou mais de 140 mil vagas, 37 mil postos foram fechados para pessoas acima de 50 anos.

FONTE: Taís Laporta/G1

A Forluz informa seus aposentados e pensionistas que, no mês de dezembro, não é efetuado o pagamento do adiantamento quinzenal. O benefício será creditado integralmente no dia 20.

Na mesma data, será feito também o depósito do Abono Anual (13º), para aqueles que optaram por modalidades que possuem este benefício.

Em caso de dúvidas, basta entrar em contato com a Central de Atendimento da Fundação no 0800 090 90 90 ou (31)3214-6600 (para ligações feitas pelo celular). O e-mail para contato é O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Fonte: Forluz

O Grupo Coração de Minas da AEA foi um dos destaques no Festival do Idoso Protagonista, realizado de 25 a 28 de novembro, em Lambari, Minas Gerais. Coordenados por Neyse Drumond e Anelice Diniz, parte dos associados (foto) participou de uma apresentação de dança sênior.

Nesta sexta-feira (30), o grupo volta a se apresentar, desta vez no X Vesperal de Dança Sênior, no Centro de Referência da Pessoa Idosa (avenida Pedro II, 3.250, bairro Caiçara, Belo Horizonte). O evento é uma realização da Prefeitura de Belo Horizonte, e a expectativa é a de que reúna 400 participantes, entre usuários do programa Viva a Vida e convidados.

No próximo domingo (2), a partir das 9h, o Coração de Minas será uma das atrações do IV Festival de Talentos com Adauto Lima, que ocorrerá na escola Professora Eleonora Pieruccetti (avenida Bernardo Vasconcelos, 288, Cachoeirinha, Belo Horizonte).

Um pouco sobre nós

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias) foi fundada em 29 de janeiro de 1983, por um grupo de eletricitários que percebeu a necessidade de unir os aposentados da CEMIG. Em todos esses anos de existência, apresentamos a você uma entidade forte, representativa e consolidada.

 

Saiba mais...

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias e promoções.