Aposentadoria: hora de se redescobrir para recomeçar

Encerrar ciclos nem sempre é fácil. Botar um ponto final em uma fase que ocupou décadas da própria vida, então, é uma experiência complexa para muita gente. Por isso, a aposentadoria é um momento único, que será encarado de formas diferentes conforme a trajetória de vida individual. Mas, por mais possibilidades e dúvidas que surjam nesta hora, trata-se, principalmente, de um recomeço.

É o que explica a terapeuta ocupacional, Cecília Xavier. "Alguns indivíduos vão atravessar esta transição com suavidade, enquanto outros sentirão uma turbulência. São muitas variáveis que vão interferir nisso, porque o trabalho costuma se relacionar à identidade da pessoa. Por isso, abrir mão do crachá também significa deixar para trás uma parte de você que foi construída ao longo dos anos".

Ela salienta que não existe uma receita definitiva para lidar com os sentimentos e conflitos comuns a esta etapa. No entanto, buscar o autoconhecimento, conectar-se aos próprios desejos e enxergar na aposentadoria uma oportunidade para colocá-los em prática são atitudes que podem ajudar. "A primeira coisa é se permitir experimentar. Somente assim, a pessoa consegue descobrir do que gosta ou não e, aos poucos, desenhar um novo estilo de vida e reinventar a própria rotina. E ter em mente que isso leva tempo, não vai acontecer da noite para o dia pois exige adaptação. É natural que demore, em alguns casos, até três anos. E mais: pode ser que a pessoa precise de acompanhamento, de um profissional que a apoie neste processo", orienta Cecília.

Projeto de Vida

Para a especialista, poucas pessoas possuem um projeto de vida para seguir após pararem de trabalhar. Com isto, se veem perdidas diante da perspectiva de ter muito tempo livre para preencher e não saber como. Como escapar, então, deste "vazio"? "Quem ainda tem chance de se planejar, recomendo que comece, independentemente da idade ou fase da carreira. E isto pode ser feito identificando quais as atividades que geram bem-estar, que trazem mais satisfação. Já aos aposentados, a principal dica é se reconectar consigo mesmo e estar aberto para o novo e para o que ele reserva. Não existe um cardápio pronto, cada um terá que ir em busca daquilo que melhor se enquadra a sua nova realidade".

Fonte: Jornal Forluz

Compartilhe

Um pouco sobre nós

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias) foi fundada em 29 de janeiro de 1983, por um grupo de eletricitários que percebeu a necessidade de unir os aposentados da CEMIG. Em todos esses anos de existência, apresentamos a você uma entidade forte, representativa e consolidada.

 

Saiba mais...

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias e promoções.