Notícias em Destaque

Devido a problemas na geração de dados, ocorreu um erro nos comprovantes para declaração de imposto de renda dos beneficiários ativos e assistidos. Em função disso, os documentos referentes ao Plano Odontológico (POD), emitidos por meio deste portal até o dia 9 de março, devem ser desconsiderados e substituídos, sob risco gerar inconsistências nas declarações do IRPF 2017.  

Os novos comprovantes já estão disponíveis. Para acessar, clique em Área do Beneficiário >> Consultas gerais e comprovantes. 

Importante: em função da mudança de sistema realizada em 2017, este ano foi necessário dividir os comprovantes por dois períodos: até Jan.2017 e a partir de Fev.2017. Por isso, fique atento e lembre-se que é necessário clicar nos dois períodos para fazer a consulta completa

Para mais informações entre em contato conosco pelo Fale Conosco disponível em nosso portal ou pelos telefones 0800 0309009 e (31) 3429-5200 – para ligações originadas de celular.

Fonte: Cemig Saúde

A AEA informa que a documentação referente à prestação de contas do exercício 2017 encontra-se à disposição para eventuais verificações dos associados, no Departamento Financeiro da AEA, conforme disposto na legislação.

Quem tiver interesse em conferir toda a documentação deve comparecer à Sede BH (Avenida Afonso Pena, 867, 17º andar, Centro), de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h30.

ASSEMBLEIA

A Assembleia Geral Ordinária para prestação de contas está marcada para o próximo dia 16 de abril, a partir da 13h, na Sede da AEA em Belo Horizonte (confira Edital de Convocação abaixo). Na ocasião, serão analisados e votados os Demonstrativos Financeiros (exercício 2017), o Relatório Anual 2017 e o Orçamento para 2018, da Diretoria Executiva.

edital

 

AEA BALANÇO 2017 correto6 3 1

 

AEA BALANÇO 2017 ultimo 2

Apesar das diversas tentativas de estabelecer um diálogo, para adiamento da apreciação e deliberação das mudanças no Plano B, o Conselho Deliberativo da Forluz aprovou, nessa quarta-feira (7), a alteração no Regulamento.

Nos últimos 30 dias nos reunimos com a Diretoria da Fundação em duas oportunidades, com o presidente do Conselho Deliberativo, promovemos amplo debate com os principais envolvidos em nosso auditório, além das notas disponibilizadas e divulgadas em nossos meios de comunicação e das correspondências e e-mails enviados com esse objetivo.

Na deliberação específica de mudança no Plano B, apenas um conselheiro eleito pelos participantes (Guilherme de Andrade Ferreira), votou contra a medida. Os demais, mesmo eleitos pelos participantes, avalizaram a decisão da Fundação. Com isso, mais uma vez, uma decisão foi tomada sem uma discussão mais ampla sobre o tema, especial e particularmente às eventuais repercussões nos benefícios dos participantes dos demais Planos da Fundação (A e B), particularmente aqueles vinculados aos benefícios vitalícios.

Em momento algum, a AEA se colocou contrária à votação das eventuais alterações propostas. Nosso objetivo sempre foi e será o de abertura para negociação. Para isso, necessitávamos de tempo e sensibilidade para avaliar os possíveis impactos de uma mudança tão importante na vida dos participantes e de seus familiares.

Diante de assunto de tamanha relevância, que envolve milhares de vidas humanas, seria fundamental que a Forluz e a Cemig abrissem uma ampla negociação sobre o tema com todas as entidades representativas (sindicatos e federação), AEA, ABCF, e Grupo de Estudos, diferentemente da forma urgente com a qual sacramentaram a mudança no Plano B, que se encontra plenamente saudável, segundo a própria Forluz.

Por isso a nossa insistência em construir, coletivamente, um entendimento antes que a decisão fosse sacramentada. E, agora, com o martelo batido, reiteramos nossa insatisfação com tal postura.

Neste momento, a AEA acredita que não é hora de serem aclamados vencedores nem derrotados. Acredita, também, na importância fundamental de realização de amplos debates sobre a matéria com os espíritos totalmente desarmados e voltados, unicamente, para um único objetivo: os participantes.

Finalmente, entendemos que sem a participação de todos os envolvidos no processo (ativos, assistidos, patrocinadora, Forluz e entidades) não conseguiremos solucionar os impasses que já existem e aqueles que surgirão em nossas relações.

Aos nossos associados em particular e a todos os assistidos, comunicamos que estaremos atentos a todos os desdobramentos futuros da questão de forma ampla. Conclamamos a mais ampla atenção de todos às nossas informações e divulgações feitas pelos nossos meios oficiais de comunicação.

João Isidro Vinhal

Diretor Presidente da Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig

CARTA ABERTA AOS CONSELHEIROS DA FORLUZ

O presidente da Forluz, José Ribeiro Pena Neto, divulgou vídeo no site da Fundação, dizendo que recebeu pedido da patrocinadora para oferecer alternativa para reduzir os riscos atuariais dos planos A e B.

Além disso, afirmou que, ainda em 2018, a Forluz chamará os participantes para propor modificações no plano A, assunto que, inclusive, já está em negociação com a patrocinadora.

Considerando a importância dessas questões, o Sindieletro, AEA, ABCF, o Sintec, o Sindicato dos Economistas e o Grupo de Estudos reivindicam que a proposta de alteração do Plano B Vitalício seja retirado da pauta de votação, prevista para a reunião de 7 de março.

Como no Plano B não existe o “Voto de Qualidade”, está nas mãos dos conselheiros eleitos atenderem esta importante reivindicação de cancelar a votação e apoiar o pedido já feito por essas entidades de abertura imediata das negociações entre participantes e patrocinadora.

Compreendemos que o momento é grave e que o diálogo e a transparência são o melhor caminho para defender o maior patrimônio dos participantes que é a Forluz.

 

Belo Horizonte, 6 de março de 2018

 

Atenciosamente,

 

Jefferson Leandro Teixeira da Silva – coordenador geral do Sindieletro

João Isidro Vinhal – Presidente da AEA (Associação dos Eletricitários Aposentados)

ABCF – Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz

Sindicato dos Economistas MG

Sintec MG – Sindicato dos Técnicos Industriais de Minas Gerais

O projeto Conversando com a Doutora está de volta e o primeiro encontro de 2018 ocorrerá na próxima quarta-feira (7), às 15h, com o tema: “Como meu corpo envelhece”. Durante o bate-papo no Auditório da AEA (avenida Afonso Pena, 867, 16º andar), com a geriatra e gerontóloga Simone Lima (foto), os associados poderão tirar duvidas e ter acesso a informações úteis à promoção e manutenção da saúde.

O projeto foi lançado em 2015 com o intuito de melhorar a qualidade de vida por meio da informação e de novos hábitos. Desde então, foram abordados diversos temas como saúde, adoecimentos, prevenção e tratamentos.

Em relação à mensagem enviada pela Forluz, sobre o posicionamento da AEA referente às alterações no Plano B, a Associação esclarece que:

 

1 - Não recebeu, até o momento, nenhum documento, planilha, parecer ou demais análises que embasem eventual alteração no Regulamento do Plano B da Forluz;

2 - Conforme entendimento em reunião realizada no dia 20/2/2018, na Sede da AEA, seria solicitado pelos conselheiros deliberativos da Forluz, Guilherme Andrade Ferreira e João Wayne Oliveira Abreu, encontro com o presidente do Conselho Deliberativo, Leonardo George Magalhães, visando a prorrogação da análise e votação da matéria, que está programada para 7 de março de 2018. Participaram da mencionada reunião a Diretoria da Forluz, Diretoria e Conselhos da Associação, entidades representativas (sindicatos, federação e ABCF) e integrantes do Grupo de Estudos Cemig Saúde e Forluz

3 - Dentre os vários questionamentos que temos recebido, especialmente de nossos associados, estão os possíveis impactos que a alteração, caso aprovada, poderá acarretar não só ao futuro da Forluz quanto, particular e especialmente, a todos os participantes dos Planos Previdenciários da Fundação.

Desta forma, a AEA não tem condições de emitir posicionamento definitivo sobre a eventual alteração do Plano B, sem haver pleno conhecimento por parte de nossos associados e de todos os participantes de forma ampla.

Finalizando, a AEA entende que é fundamental o adiamento da data já agendada para possibilitar o aprofundamento da questão e, até mesmo, a apresentação de sugestões/alternativas para tema tão controverso, além de permitir a elaboração de estudos técnicos e pareceres tudo de acordo com o Estatuto e os Regulamentos da Fundação.

 

João Isidro Vinhal

Diretor Presidente da Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias-AEA-MG

Um estudo da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap) aponta que as perdas salariais históricas dos aposentados e pensionistas acumularam 84,52% no período de setembro de 1994 até janeiro de 2018. Para chegar ao índice, a confederação utiliza os reajustes anuais do salário mínimo e a correção dos salários de aposentados e pensionistas que ganham acima do piso, reajustado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Neste ano, aposentadorias e pensões acima do salário mínimo foram reajustadas em 1º de janeiro de 2018 em 2,07%, enquanto o mínimo teve aumento de 1,95%. Porém, esse comportamento não é comum. Historicamente, o salário mínimo tem reajustes anuais maiores do que aposentados e pensionistas que ganham acima do piso nacional, atualmente em R$ 954.

De acordo com o estudo da Cobap, as perdas dos aposentados foram maiores durante os mandatos do presidente Lula, com acumulado de 42,61%. Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, as perdas foram menores, totalizando 26,60%. Já no governo Dilma, a diferença entre os reajustes foi a menor já registrada. Em comparação ao mínimo, os aposentados e pensionistas perderam 15,67%.

Fonte: Extra

  BELO HORIZONTE, 8 DE FEVEREIRO DE 2018

 

CARTA ABERTA A TODOS OS DEPUTADS FEDERAIS

INTEGRANTES DA BANCADA MINEIRA

Senhor,

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias), como representante de cerca de TREZE MIL APOSENTADOS E PENSIONISTAS espalhados por todo o Estado de Minas Gerais vem, por meio desta mensagem, solicitar que Vossa Excelência honre o voto que recebeu dos eleitores de nosso Estado de Minas Gerais e cumpra seu papel parlamentar, votando contra a Reforma da Previdência, como prevê o texto apresentado pelo Governo Federal.

Está comprovado, por meio de vários estudos, que as inúmeras mudanças, como pretende a Presidência, vão trazer graves prejuízos para grande parte da população, enquanto outra parte terá preservado seus elevados benefícios (funcionários públicos civis e militares, políticos, membros dos diversos poderes, etc). Conforme demonstrado pela CPI da Previdência do Senado Federal – com farta documentação, o decantado “déficit da previdência”, amplamente divulgado pelo governo, não corresponde à realidade dos fatos. Portanto, solicitamos que Vossa Excelência não seja cúmplice deste crime contra o povo brasileiro.

Em 2018, teremos novas eleições.

A AEA está acompanhando atentamente a discussão da Reforma da Previdência, e não poupará nenhum parlamentar que votar contra a nação. Muito pelo contrário, ficaremos vigilantes quanto ao posicionamento de cada deputado federal mineiro. Conforme os desdobramentos dessa reforma ultrajante que pretende o governo, temos o compromisso, perante nosso grupo de aposentados e seus respectivos familiares, de denunciar e expor todo aquele deputado que for contra os interesses dos trabalhadores principalmente os aposentados e pensionistas.

Aposentadoria não é e nunca foi um BENEFÍCIO. O aposentado de hoje não está recebendo nada gratuitamente, pois pagou por décadas para ter direito a um rendimento minimamente digno quando deixasse o mercado de trabalho. Não aceitaremos, passivamente, que o Governo faça mais esta maldade com a categoria, que já é tão sacrificada e desvalorizada no Brasil.

Estamos acompanhando atentamente a atuação e o posicionamento de cada um.

É nosso dever e obrigação perante nossos associados.

Atenciosamente,

João Isidro Vinhal

Presidente da Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias-AEA-MG

Um pouco sobre nós

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias) foi fundada em 29 de janeiro de 1983, por um grupo de eletricitários que percebeu a necessidade de unir os aposentados da CEMIG. Em todos esses anos de existência, apresentamos a você uma entidade forte, representativa e consolidada.

 

Saiba mais...

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias e promoções.