Notícias em Destaque

Os benefícios pagos aos participantes assistidos dos planos A e B da Forluz serão reajustados em 2,8549% a partir deste mês de junho. Para os participantes do Plano B que começaram a receber o benefício em junho de 2017, o percentual será aplicado de forma proporcional.

Para definir o reajuste anual, a Fundação utiliza o índice IPCA-IBGE. O percentual calculado se refere ao acumulado entre junho de 2017 e maio de 2018. São contemplados os participantes dos dois planos, exceto aqueles que recebem MAT Temporária em Valor Variável.

Confira os valores e o índice nas tabelas abaixo:

tabela reajuste forluz

A diretoria da Forluz realizará nesta quarta-feira (20) o Presta Contas, a partir das 14h, no auditório do edifício Julio Soares, na Cemig, em Belo Horizonte (avenida Barbacena, 1200, Santo Agostinho). Trata-se de evento anual da Fundação, com o objetivo de manter os participantes atualizados sobre a situação dos planos previdenciários, investimentos e serviços prestados pela entidade.

Na programação, está prevista apresentação do presidente da Fundação, José Ribeiro Pena Neto, e um painel com a presença de todos os integrantes da Diretoria Executiva, para que os participantes possam esclarecer suas dúvidas.

A Previc – Superintendência Nacional de Previdência Complementar, aprovou, no último dia 1º de junho, as alterações regulamentares do Plano B, conforme a Portaria nº366, publicada no DOU – Diário Oficial da União. As mudanças foram encaminhadas para análise do órgão supervisor após aprovação no Conselho Deliberativo da Forluz, em reunião realizada no último dia 7 de março.

Entre as modificações, está a inclusão do parágrafo 16 no artigo 29. O texto inicial previa que os participantes que se filiarem ao Plano B a partir do dia 1º de maio de 2018 fariam jus somente ao benefício de MAT Temporária em Valor Variável, conhecida como cotas. Por determinação da Previc, foi feito um pequeno ajuste na redação, sem perder seu efeito, ficando da seguinte forma:

 "§ 16. Os Participantes farão jus somente à modalidade prevista no inciso III, a partir da data da aprovação, pela Autoridade Governamental Competente, da alteração regulamentar promovida em razão da 356ª reunião do Conselho Deliberativo da Forluz, assegurado, no entanto, aos inscritos no Plano até 30/04/2018 optarem por qualquer uma das modalidades". Significa dizer que, por determinação da Previc, a data passou a ser 1º de junho de 2018, quando foi publicada a aprovação, e não no dia 1º de maio, conforme havia sido divulgado.

Além disso, foi aprovado o aumento do percentual resgatável da contribuição da patrocinadora. Anteriormente, este valor era de 0,3% por mês de vínculo à patrocinadora. Agora, o cálculo é diferente: 0,3% ao mês com até cinco anos de vínculo; 0,4% acima de cinco e até dez anos; e 0,5% a partir de dez anos. A nova tabela é mais vantajosa para o participante, que terá 90% do valor da conta patronal após 15 anos de vínculo, sendo que este tempo, até então, era de 25 anos.  

Correção

As mudanças também corrigem um equívoco no regulamento, ocorrido em 2016. Naquela ocasião, foi alterado o artigo 28 e deixou de ser considerado na carência de 120 meses de filiação para concessão do benefício o tempo de filiação ao plano anterior. A alteração retorna a antiga condição e alcança quatro participantes que migraram do Plano BD para o Plano B a partir de 2007.


Clique aqui e entenda o que motivou as modificações.  

Para conferir o quadro De/Para das alterações no regulamento, clique aqui.

FONTE: Forluz

A AEA está realizando campanha para arrecadar medicamentos em Belo Horizonte e nos sete Escritórios do Interior. Por isso, se você tem algum remédio em casa que não está sendo utilizado, doe e ajude a quem precisa.

Denominado Farmácia Solidária, o projeto teve início ano passado e tem como objetivo arrecadar medicações diversas que estejam na embalagem original e dentro do prazo de validade, mesmo em sobras de cartelas. Só não serão aceitos medicamentos que precisam ser conservados na geladeira.

Para doar na Sede BH, deve-se procurar a Área Social, e falar com Thais Carvalho (avenida Afonso Pena, 867, 17º andar, Centro). No interior, os interessados em participar da campanha devem levar os medicamentos nos escritórios (veja lista abaixo).

 

 

ONDE DOAR

- DIVINÓPOLIS

Rua Itapecerica, 151, Centro – Tel: (37) 3213-4895

- GOVERNADOR VALADARES

Rua Sete de Setembro, nº 3018, Centro - Tel (33) 3272-1044)

- JUIZ DE FORA

Avenida Rio Branco, nº 2555 – Sala 505, Centro - Tel (32) 3223-1697

- MONTES CLAROS

Praça Pio XII, 192, sala 8, Centro – Tel (38) 3221-6690

- SÃO JOÃO DEL REI

Rua Comendador Costa, 160, Centro – Tel (32) 3372-1672

- UBERABA

Avenida Doutor Fidélis, 481, sl 17, Bairro Centro - Tel (34) 3313-0245

- UBERLÂNDIA

Rua Vieira Gonçalves, nº 558, Bairro Martins – Tel (34) 3236-5293

 

Encerrados os trabalhos de apuração do Processo Eleitoral Forluz 2018, a Comissão Eleitoral informa que foram apurados os seguintes resultados:

Escolha do Diretor de Relações com Participantes da Forluz:

Chapa 1 - Forluz Sustentável e de Todos - 921 votos
Chapa 2 – De Olho na Forluz - 4.396 votos
Chapa 3 - A Voz dos Participantes na Forluz - 3.338 votos
Brancos: 74 votos
Nulos: 17 votos

Escolha dos Conselhos Deliberativo e Fiscal da Forluz

Chapa 1 - Forluz Sustentável e de Todos - 964 votos
Chapa 2 – De Olho na Forluz - 4.387 votos
Chapa 3 - A Voz dos Participantes na Forluz - 3.313 votos
Brancos: 63 votos
Nulos: 19 votos

Fonte: Forluz

Aguarde mais informações

Por Bárbara Vargas – oftalmologista do Hospital de Olhos Rui Marinho

O inverno chegou e com ele o frio que traz alguns transtornos para a saúde ocular da população. Quem nunca sentiu coceira, ardor, sensação de queimação e de areia nos olhos, além de irritação e olhos vermelhos? Essas são algumas das queixas mais frequentes do período. Isso se deve à Síndrome do Olho Seco, causada pela pouca quantidade ou má qualidade da lágrima para manter o olho lubrificado. Ela atinge cerca de 15% da população brasileira.

O aumento dos sintomas durante o inverno está relacionado aos baixos índices de umidade, característicos da estação, que facilitam a evaporação das lágrimas, responsáveis pela lubrificação do olho. A Síndrome do Olho Seco é uma doença crônica mais frequente neste período, mas pode ocorrer em todas as estações.

Alguns hábitos do dia a dia, como passar muito tempo na frente do computador ou da TV e ler por muitas horas, contribuem para os sintomas. Normalmente, piscamos cerca de 20 vezes por minuto e, durante estas atividades, essa frequência pode reduzir de 3 a 4 vezes. Dentre outros fatores de risco, podemos destacar medicamentos, como antidepressivos, anti-hipertensivos e antialérgicos. Mulheres na menopausa, idosos e usuários de lentes de contato também têm maior propensão. Além disso, traumas (queimaduras química e térmica), doenças reumatológicas e do sistema imunológico também estão associadas à disfunção lacrimal.

Ao sentir incômodos, é importante procurar um oftalmologista. O tratamento mais comum é o uso de colírios que simulam as lágrimas e que melhoram a lubrificação. Porém, se for identificada a necessidade de uso contínuo, é primordial a análise de um especialista. Já em casos mais graves, a Síndrome do Olho Seco pode ser tratada por meio de anti-inflamatórios e outros medicamentos ou até mesmo com intervenções cirúrgicas. É importante enfatizar que a automedicação nunca é indicada.

Outras atitudes podem ser tomadas para ajudar no desconforto: o uso de umidificadores de ambiente e o aumento da ingestão de água, por exemplo. Fazer pausas esporádicas durante atividades prolongadas em frente ao computador também ajudam. Como oftalmologista, minha dica para o inverno é hidratar tanto o corpo quanto os olhos. Também procure um oftalmologista para avaliar sua saúde ocular. A Síndrome do Olho Seco não tem cura e sim controle, portanto precisa ser diagnosticada e corretamente tratada. Caso contrário, pode gerar distúrbios graves à superfície ocular e prejudicar a qualidade visual.

Termina às 23h59 desta quinta-feira (7), o prazo para votar na eleição da Forluz. A votação só pode ser feita por telefone ou pela internet, por meio de senha enviada via Correios. Em caso de extravio da senha, o participante poderá recuperá-la fazendo login no site da Fundação. (CLIQUE AQUI PARA RECUPERAR A SENHA). Para quem tem dificuldade em acessar a internet, a AEA conta com terminais de computadores disponíveis para a votação.

A votação teve início no último 21 de maio, e tem como objetivo escolher membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal e o Diretor de Relações com Participantes da Fundação. Portanto, se ainda não votou, fique atento e exerça seu direito porque restam poucas horas para o fim do prazo.

Como integrante do Coletivo de Entidades, a AEA compõe e apoia a Chapa 2, denominada “De Olho na Forluz”, tendo indicado, inclusive, dois associados: Enderson Couto de Miranda (advogado que representa a AEA na ação do Seguro de Vida) e Roseli Conceição Maciel (confira os membros no quadro abaixo).

“Os aposentados e pensionistas associados ou não à AEA têm a oportunidade de engrandecer, cada vez mais, nossa entidade dando seu voto para quem os representa de verdade junto à Forluz e fiscaliza os atos da patrocinadora contra nossas conquistas”, argumenta João Isidro Vinhal, Diretor Presidente da Associação.

Um pouco sobre nós

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias) foi fundada em 29 de janeiro de 1983, por um grupo de eletricitários que percebeu a necessidade de unir os aposentados da CEMIG. Em todos esses anos de existência, apresentamos a você uma entidade forte, representativa e consolidada.

 

Saiba mais...

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias e promoções.