Notícias em Destaque

CARTA ABERTA AOS CONSELHEIROS DA FORLUZ

O presidente da Forluz, José Ribeiro Pena Neto, divulgou vídeo no site da Fundação, dizendo que recebeu pedido da patrocinadora para oferecer alternativa para reduzir os riscos atuariais dos planos A e B.

Além disso, afirmou que, ainda em 2018, a Forluz chamará os participantes para propor modificações no plano A, assunto que, inclusive, já está em negociação com a patrocinadora.

Considerando a importância dessas questões, o Sindieletro, AEA, ABCF, o Sintec, o Sindicato dos Economistas e o Grupo de Estudos reivindicam que a proposta de alteração do Plano B Vitalício seja retirado da pauta de votação, prevista para a reunião de 7 de março.

Como no Plano B não existe o “Voto de Qualidade”, está nas mãos dos conselheiros eleitos atenderem esta importante reivindicação de cancelar a votação e apoiar o pedido já feito por essas entidades de abertura imediata das negociações entre participantes e patrocinadora.

Compreendemos que o momento é grave e que o diálogo e a transparência são o melhor caminho para defender o maior patrimônio dos participantes que é a Forluz.

 

Belo Horizonte, 6 de março de 2018

 

Atenciosamente,

 

Jefferson Leandro Teixeira da Silva – coordenador geral do Sindieletro

João Isidro Vinhal – Presidente da AEA (Associação dos Eletricitários Aposentados)

ABCF – Associação dos Beneficiários da Cemig Saúde e Forluz

Sindicato dos Economistas MG

Sintec MG – Sindicato dos Técnicos Industriais de Minas Gerais

O projeto Conversando com a Doutora está de volta e o primeiro encontro de 2018 ocorrerá na próxima quarta-feira (7), às 15h, com o tema: “Como meu corpo envelhece”. Durante o bate-papo no Auditório da AEA (avenida Afonso Pena, 867, 16º andar), com a geriatra e gerontóloga Simone Lima (foto), os associados poderão tirar duvidas e ter acesso a informações úteis à promoção e manutenção da saúde.

O projeto foi lançado em 2015 com o intuito de melhorar a qualidade de vida por meio da informação e de novos hábitos. Desde então, foram abordados diversos temas como saúde, adoecimentos, prevenção e tratamentos.

Em relação à mensagem enviada pela Forluz, sobre o posicionamento da AEA referente às alterações no Plano B, a Associação esclarece que:

 

1 - Não recebeu, até o momento, nenhum documento, planilha, parecer ou demais análises que embasem eventual alteração no Regulamento do Plano B da Forluz;

2 - Conforme entendimento em reunião realizada no dia 20/2/2018, na Sede da AEA, seria solicitado pelos conselheiros deliberativos da Forluz, Guilherme Andrade Ferreira e João Wayne Oliveira Abreu, encontro com o presidente do Conselho Deliberativo, Leonardo George Magalhães, visando a prorrogação da análise e votação da matéria, que está programada para 7 de março de 2018. Participaram da mencionada reunião a Diretoria da Forluz, Diretoria e Conselhos da Associação, entidades representativas (sindicatos, federação e ABCF) e integrantes do Grupo de Estudos Cemig Saúde e Forluz

3 - Dentre os vários questionamentos que temos recebido, especialmente de nossos associados, estão os possíveis impactos que a alteração, caso aprovada, poderá acarretar não só ao futuro da Forluz quanto, particular e especialmente, a todos os participantes dos Planos Previdenciários da Fundação.

Desta forma, a AEA não tem condições de emitir posicionamento definitivo sobre a eventual alteração do Plano B, sem haver pleno conhecimento por parte de nossos associados e de todos os participantes de forma ampla.

Finalizando, a AEA entende que é fundamental o adiamento da data já agendada para possibilitar o aprofundamento da questão e, até mesmo, a apresentação de sugestões/alternativas para tema tão controverso, além de permitir a elaboração de estudos técnicos e pareceres tudo de acordo com o Estatuto e os Regulamentos da Fundação.

 

João Isidro Vinhal

Diretor Presidente da Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias-AEA-MG

Um estudo da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap) aponta que as perdas salariais históricas dos aposentados e pensionistas acumularam 84,52% no período de setembro de 1994 até janeiro de 2018. Para chegar ao índice, a confederação utiliza os reajustes anuais do salário mínimo e a correção dos salários de aposentados e pensionistas que ganham acima do piso, reajustado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Neste ano, aposentadorias e pensões acima do salário mínimo foram reajustadas em 1º de janeiro de 2018 em 2,07%, enquanto o mínimo teve aumento de 1,95%. Porém, esse comportamento não é comum. Historicamente, o salário mínimo tem reajustes anuais maiores do que aposentados e pensionistas que ganham acima do piso nacional, atualmente em R$ 954.

De acordo com o estudo da Cobap, as perdas dos aposentados foram maiores durante os mandatos do presidente Lula, com acumulado de 42,61%. Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, as perdas foram menores, totalizando 26,60%. Já no governo Dilma, a diferença entre os reajustes foi a menor já registrada. Em comparação ao mínimo, os aposentados e pensionistas perderam 15,67%.

Fonte: Extra

  BELO HORIZONTE, 8 DE FEVEREIRO DE 2018

 

CARTA ABERTA A TODOS OS DEPUTADS FEDERAIS

INTEGRANTES DA BANCADA MINEIRA

Senhor,

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias), como representante de cerca de TREZE MIL APOSENTADOS E PENSIONISTAS espalhados por todo o Estado de Minas Gerais vem, por meio desta mensagem, solicitar que Vossa Excelência honre o voto que recebeu dos eleitores de nosso Estado de Minas Gerais e cumpra seu papel parlamentar, votando contra a Reforma da Previdência, como prevê o texto apresentado pelo Governo Federal.

Está comprovado, por meio de vários estudos, que as inúmeras mudanças, como pretende a Presidência, vão trazer graves prejuízos para grande parte da população, enquanto outra parte terá preservado seus elevados benefícios (funcionários públicos civis e militares, políticos, membros dos diversos poderes, etc). Conforme demonstrado pela CPI da Previdência do Senado Federal – com farta documentação, o decantado “déficit da previdência”, amplamente divulgado pelo governo, não corresponde à realidade dos fatos. Portanto, solicitamos que Vossa Excelência não seja cúmplice deste crime contra o povo brasileiro.

Em 2018, teremos novas eleições.

A AEA está acompanhando atentamente a discussão da Reforma da Previdência, e não poupará nenhum parlamentar que votar contra a nação. Muito pelo contrário, ficaremos vigilantes quanto ao posicionamento de cada deputado federal mineiro. Conforme os desdobramentos dessa reforma ultrajante que pretende o governo, temos o compromisso, perante nosso grupo de aposentados e seus respectivos familiares, de denunciar e expor todo aquele deputado que for contra os interesses dos trabalhadores principalmente os aposentados e pensionistas.

Aposentadoria não é e nunca foi um BENEFÍCIO. O aposentado de hoje não está recebendo nada gratuitamente, pois pagou por décadas para ter direito a um rendimento minimamente digno quando deixasse o mercado de trabalho. Não aceitaremos, passivamente, que o Governo faça mais esta maldade com a categoria, que já é tão sacrificada e desvalorizada no Brasil.

Estamos acompanhando atentamente a atuação e o posicionamento de cada um.

É nosso dever e obrigação perante nossos associados.

Atenciosamente,

João Isidro Vinhal

Presidente da Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias-AEA-MG

A fim de proteger seus participantes de fraudes e golpes, a Forluz informa que não entra em contato, em hipótese alguma, para exigir depósitos bancários em troca de qualquer tipo de benefício. Duas ocorrências deste tipo chegaram ao conhecimento da Entidade recentemente.

Em um dos casos, um suposto advogado pediu o pagamento de R$ 900, afirmando agir em nome da Fundação. Ele alegou que, caso efetuasse o depósito da quantia, o participante receberia valores referentes à Instrução Normativa 1.343.

Cabe destacar que a instrução diz respeito à compensação no Imposto de Renda das contribuições feitas para planos de previdência complementar. O valor apurado conforme regras da Instrução Normativa da Receita Federal é deduzido mensalmente do seu benefício (base do IR) até que o saldo se esgote. A restituição/compensação será informada no contracheque, através do campo "dedução do mês". O campo "saldo" é o valor restante a ser compensado.

Portanto, não há outra forma de recebimento desta diferença a não ser a compensação em contracheque e, caso você receba alguma mensagem deste tipo, solicitando a transferência de valores em nome da Entidade, seja por telefone ou via e-mail, não siga as orientações. 

Em caso de dúvidas, entre em contato com a nossa Central de Atendimento, por meio do 0800 090 9090 ou 3214-6600 (para ligações realizadas pelo celular).

ENTENDA A IN 1.343

A Receita Federal publicou a Instrução Normativa nº 1.343, que estabeleceu a compensação no Imposto de Renda das contribuições feitas para planos de previdência complementar entre janeiro de 1989 e dezembro de 1995.

O cálculo da compensação é feito através do levantamento pela Fundação das contribuições no período de 1989 a 1995.  Os critérios de correção do valor foram estipulados pela Instrução Normativa, conforme tabela disponibilizada pela Receita Federal.

O valor apurado conforme regras da Instrução Normativa da Receita Federal é deduzido mensalmente do seu benefício (base do IR) até que o saldo se esgote. Para saber mais sobre o assunto, clique aqui.

Fonte: Forluz

Como participante do Grupo de Estudos Cemig Saúde e Forluz, a AEA recebeu com certa satisfação a notícia do adiamento da reunião que iria decidir sobre a alteração do plano B, proposta pela diretoria da Forluz, a pedido da Cemig. Prevista para ocorrer em 22 de fevereiro, a reunião foi remarcada para o próximo 7 de março.

A Associação enaltece a sensibilidade do presidente do Conselho Deliberativo da Forluz ao reconhecer a necessidade de se adiar o assunto, bem como o empenho dos conselheiros eleitos em trabalhar para que nova data fosse marcada. Esperamos, no entanto, que tal prorrogação não sirva somente como forma de transparecer boa vontade das Patrocinadoras e da Forluz, pois sabemos ser impossível discutir o assunto em tão pouco tempo.

A AEA avalia que apenas mais oito dias úteis não serão suficientes para fazermos um amplo debate com os participantes, assistidos, entidades e patrocinadoras sobre assunto tão relevante. Afinal, nossas reivindicações vão muito além da prorrogação por mais oito dias, pois eventuais mudanças como estão sendo propostas impactarão de forma definitiva na vida e nos benefícios de participantes ativos e assistidos.

Diante de assunto de tamanha relevância, é fundamental que a Forluz e a Cemig abram uma ampla negociação sobre o tema, diferentemente da forma urgente com a qual pretendem sacramentar a eventual mudança no Plano B, que se encontra plenamente saudável, segundo a própria Forluz.

Além disso, ressaltamos que a última alteração promovida no Plano B, bem menos significativa do que a pretendida atualmente, só foi implementada depois de quase um ano de estudos, debates e discussões.

Diante dessas ponderações, a AEA solicita, mais uma vez, que a Forluz, a Patrocinadora e o Conselho Deliberativo não decidam de afogadilho assunto de tamanha importância, e promovam nova prorrogação da data (7 de março), para que se tenha tempo hábil para a devida discussão do assunto com todos os envolvidos.

Por fim, lembramos que no Plano B não existe o voto de qualidade. Qualquer mudança proposta nele somente será implementada se um dos membros eleitos votar com a representação das patrocinadoras.

Tempo, negociação, transparência, pareceres de técnicos externos é o que a AEA espera e confia ter das direções das patrocinadoras e da Forluz.

Um pouco sobre nós

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias) foi fundada em 29 de janeiro de 1983, por um grupo de eletricitários que percebeu a necessidade de unir os aposentados da CEMIG. Em todos esses anos de existência, apresentamos a você uma entidade forte, representativa e consolidada.

 

Saiba mais...

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias e promoções.