Notícias em Destaque

No fim deste ano se encerará a gestão da Diretoria Executiva, iniciada em janeiro de 2015, bem como a do Conselho Fiscal. Nesses quase três anos, trabalhamos arduamente em busca do fortalecimento permanente da nossa Associação. Foi um período de aprendizado e crescimento, quando tivemos a missão de encarar inúmeros desafios. Temos consciência de que já superamos alguns e continuamos seguindo firmes na batalha para suplantar aqueles que ainda são entraves em nossa caminhada.

Teremos mais sete meses de ação à frente da nossa AEA, que serão cumpridos com a mesma dedicação e total empenho. Dentro do possível, nosso objetivo é transferir o comando da Associação com os nossos compromissos devidamente cumpridos. Contudo, sabemos que nossa missão na defesa de aposentados e pensionistas nunca terá fim. Muito pelo contrário! À medida que os anos passam, temos consciência de que o trabalho para manter, garantir e buscar novas conquistas e direitos em favor de nossos associados se torna cada vez mais árduo.

Por isso, conclamamos a todos os nossos mais de 5.500 associados que não se furtem de participar ativamente de mais este momento da Associação. Afinal, o envolvimento no pleito é primordial para reafirmar o caráter democrático e transparente do processo eleitoral.

Entendemos que a união de força daqueles interessados em dar sequência ao projeto sólido da AEA será essencial tanto na formação de chapa (s) para concorrer às eleições, quanto na participação ativa no momento de escolher os nomes que estiverem na disputa para membros do Conselho Fiscal.

Conforme prevê o Estatuto da Associação, a inscrição de chapa (s) para a Diretoria Executiva e dos nomes que concorrerão ao Conselho Fiscal será de 5 de agosto a 5 de setembro de 2017. A Assembleia Geral para contagem dos votos está marcada para 9 de novembro. Podem se inscrever todos os associados que estiverem, no mínimo, há dois anos completos no quadro de filiados.

A chapa para Diretoria Executiva será composta por Presidente, Vice-Presidente, Diretor Administrativo, Diretor Financeiro, Diretor de Intercâmbio, Diretor Social, Diretor de Promoções e Diretor de Interior. Em relação à escolha do Conselho Fiscal, serão candidaturas individuais, sendo eleitos como membros efetivos os três mais votados e, como suplentes, os três subsequentes.

O que tem acontecido na política do Brasil nos últimos anos deve servir de alerta para todos nós. Afinal, somos o resultado das nossas escolhas e arcaremos com todas as consequências das opções que fizermos.

Portanto, fique atento aos prazos e faça valer o seu direito!

Participe da vida da nossa Associação em todas as áreas, principalmente, no momento de se colocar à disposição para oferecer seus préstimos ou na hora de escolher aqueles colegas que irão representá-los no triênio 2018/2020.

Os benefícios pagos aos participantes do plano A e aos assistidos do plano B da Forluz serão reajustados em 3,5971%, a partir deste mês de junho. O índice será aplicado de forma proporcional aos participantes que começaram a receber o benefício a partir de junho de 2016.

O reajuste é calculado anualmente através do índice IPCA-IBGE. Este percentual se refere ao período acumulado entre o mês de junho de 2016 e maio de 2017.

Confira os valores e os índices nas tabelas abaixo:

 

aumento1

Fonte: Forluz

A partir desta segunda-feira (12 de junho), a Central de Atendimento da Forluz passará a funcionar em novo horário: das 8h30 às 17h30. A mudança foi balizada por estudos realizados no primeiro trimestre de 2017.  A análise demonstrou que, entre 7h e 8h30, e de 17h30 às 19h, o canal recebia, em média, três ligações diárias.

Com a mudança, haverá mais atendentes trabalhando nos horários de pico. Desta forma, a Fundação visa otimizar o trabalho e reduzir o tempo de espera de seus participantes. Cabe destacar que o remanejamento ainda possibilitará uma economia de cerca de 20% do valor pago pelos serviços mensalmente.

Os nossos números continuam os mesmos. Para entrar em contato na Central de Atendimento Forluz, ligue 0800 0909090 ou 3214-6600 para ligações realizadas via celular.​

Fonte: Forluz

A Forluz decidiu aderir ao Código de Autorregulação em Governança de Investimentos. O documento visa incentivar o aperfeiçoamento das atividades de governança de investimentos, mitigar os riscos existentes e contribuir para o desenvolvimento sustentável da previdência complementar fechada do País.

O Código foi elaborado por uma comissão formada por dirigentes da Abrapp, do Sindapp e do ICSS, com acompanhamento de consultores experientes e após avaliação de experiências semelhantes em outros segmentos. Em vídeo​ divulgado pela Abrapp, o coordenador do grupo, José Luiz Rauen, afirma que a proposta da autorregulação demonstra a maturidade do sistema. Segundo ele, o Código estabelece princípios éticos no que diz respeito à transparência das informações e à relação fiduciária das entidades.

A adesão ao Código é voluntária. Em uma segunda fase, a entidade poderá se subm​eter ao processo de auditoria para a obtenção do selo. Este selo será uma das formas de verificação de que o fundo de pensão cumpre as determinações indicadas pelo documento. Existe um conselho composto por representantes da Abrapp, Sindapp, ICSS e entidades do mercado que estabelece as regras e acompanha a operação do Código.

Fonte: Forluz 

Envolvida em uma batalha jurídica desde o início do ano passado, para preservar o direito dos associados lesados com as mudanças promovidas pela Cemig na apólice do Seguro de Vida, a AEA aguarda julgamento de recurso no qual questiona o declínio de competência do juiz da 4ª Vara Estadual para a Justiça do Trabalho. Na última sexta-feira (3), o advogado que representa a Associação, Enderson Couto Miranda (foto), esteve no Tribunal de Justiça de Minas Gerais, para tratar do caso.

“Fui despachar e cuidar do futuro da nossa ação da AEA. Apesar de o juiz ter declinado a sua competência para uma das Varas da Justiça do Trabalho, a decisão não é definitiva e cabe recurso, mesmo na hipótese de ele não rever a sentença ao apreciar os Embargos Declaratórios que foram opostos por nós”, esclarece o advogado.

De acordo com ele, se o juiz não acatar o recurso o caminho será fazer novo pedido em esfera superior. “Na remota hipótese de prevalecer o declínio da competência, faremos de tudo para suscitar o Incidente Negativo de Competência, que deverá ser apreciado pelo Superior Tribunal de Justiça”, adianta.

Sindicatos têm sofrido derrotas na justiça do trabalho

Apesar de o recurso questionando o declínio de competência ainda não ter sido apreciado, Enderson observa que a Tutela de Evidência, obtida pela a AEA em 28 de março, continua em vigor. Na ocasião, os desembargadores da Segunda Câmara Cível foram unânimes em acatar o pedido da Associação.

Agora, o objetivo dos representantes da Associação é manter a tramitação da ação na esfera Estadual, como ocorreu desde o início da demanda. “Sempre entendi que o caminho a seguir seria discutir a questão na Justiça Estadual, abordando a ótica da renovação do contrato de seguro. Por uma questão lógica e de bom senso, nunca tive a esperança de a Justiça do Trabalho julgar de forma diferente do previamente acordado entre os sindicatos e a Cemig”, justifica Enderson.

Sua tese pode ser confirmada pelas últimas movimentações na justiça, com base em ações movidas por entidades como o Sindieletro. Recentemente, este sindicato sofreu novo revés, bem como a Cemig conseguiu derrubar todos os demais recursos apreciados na justiça do trabalho.

“Ao examinar a sentença da juíza da 38º Vara (leia aqui) dá para perceber claramente qual é o entendimento na esfera do trabalho. Infelizmente, é o mesmo corroborado no julgamento das outras ações do Sindsul, Sindicato de Juiz de Fora e na dos ex-empregados da CFLMG, já julgadas pelo Tribunal Regional do Trabalho-MG. Isso indica que as chances de o recurso ordinário prosperar nessa instância serão mínimas”, projeta o advogado.

Não há como deixar passar em vão os dados da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). O levantamento aponta que mais de 13 milhões de brasileiros estão vivendo com diabetes. O número representa 6,9% da atual população nacional e, mais do que isso, serve como um alerta porque a quantidade de pessoas acometidas pela doença tem crescido.

Atenta a essa realidade preocupante, a AEA realizará no próximo dia 9 de junho (sexta-feira) a palestra “Diabetes – qual o problema de tanto açúcar”. O bate-papo com a médica geriatra Simone Lima será às 15h, no Auditório da AEA (Avenida Afonso Pena, 867, 16º, Centro-BH).

O encontro na Associação faz parte do projeto “Conversando com a Doutora”, que tem o objetivo de contribuir para melhorar a qualidade de vida dos associados, por meio da informação e de novos hábitos. Nos encontros são abordados temas como saúde, adoecimentos, prevenção e tratamentos e o primeiro encontro terá como assunto a hipertensão.

A partir de 1º de junho, os participantes assistidos e pensionistas da Forluz terão acesso ao contracheque também nos caixas eletrônicos e no Internet Banking do Banco Santander. O documento já estava sendo enviado ao email cadastrado.

De acordo com a Forluz, a medida tem como objetivo reduzir custos com a impressão e envio pelos Correios, além de tornar mais fácil e ágil o acesso às informações sobre o pagamento.

Um pouco sobre nós

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias) foi fundada em 29 de janeiro de 1983, por um grupo de eletricitários que percebeu a necessidade de unir os aposentados da CEMIG. Em todos esses anos de existência, apresentamos a você uma entidade forte, representativa e consolidada.

 

Saiba mais...

Facebook

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias e promoções.