Segunda, 11 Julho 2016 00:00

Aposentado é alvo em outros golpes

Avalie este item
(0 votos)

Sem esperar, a pessoa é surpreendida com um comunicado que a deixa empolgada. Em mensagem que contém todos os dados pessoais, o “sortudo” toma conhecimento de que tem uma boa grana à sua espera. A suposta “bolada” extra, que não estava nos planos, é a senha para que o indivíduo inicie a saga para colocar as mãos no “dinheiro”. Passado algum tempo, percebe-se que tudo não passa de um golpe para lesar financeiramente, especialmente, aposentados e pensionistas.

“Os aposentados são um alvo mais fácil, mais visado. Recebem cartas de banco, escritórios que oferecem inúmeras coisas. Infelizmente, há uma indústria em ação para tentar enganá-los e lesá-los. Nesse intuito, oferecem de tudo, entram com ação sem fundamento jurídico e ainda recebem para isso”, explica o advogado Vilson Antônio da Silva, do Escritório José Orlando Rios e Advogados Associados.

Segundo ele, são vários os tipos de golpes e a criatividade dos estelionatários impressiona. Apesar da tentação, o advogado alerta que muitos deles podem ser evitados, pois os alvos devem ficar atentos e desconfiar de qualquer vantagem “polpuda” que lhe bata a porta, inesperadamente.

“O modus operandi é sempre o mesmo. Quando a abordagem não é por telefone é por carta, com todos os dados do destinatário, como CPF, data de nascimento, telefone, e inúmeras outras informações, com números e códigos para impressionar a vítima”, conta Silva.

As promessas vão de resgate de pecúlio a pensão mensal vitalícia, passando por revisão de benefício de aposentadoria, reajuste de FGTS e saque “do dinheiro bloqueado do plano Collor”, sempre com valores bastante atrativos.

É comum ver no noticiário situações em que o aposentado cai na conversa de escritórios de advocacia e associações formados por golpista, como tem ocorrido em Belo Horizonte há alguns anos.

“Houve o caso de um escritório que procurou aposentados com a promessa de ingressar com ações na justiça, para receber algum dinheiro que era devido. Os interessados pagaram valores altos para entrar com ações infundadas, fadadas à improcedência. O escritório funcionou por poucos meses, tempo suficiente para lesar centenas de pessoas. Depois, fechou as portas”, relembra o advogado.

ESTRATÉGIA

Vilson cita a promessa de revisão de benefício e o reajuste do saldo da conta do FGTS como líderes no ranking da picaretagem. O golpe do pecúlio é outro sempre utilizado por quadrilhas de estelionatários. A trama é desenvolvida da seguinte forma: uma carta é enviada, informando que foi liberada para o destinatário, por meio de ação judicial, uma quantia em dinheiro. No comunicado, pede-se para entrar em contato urgente para que o processo tenha andamento e o dinheiro seja resgatado. Na ânsia de receber, muita gente paga o valor exigido e, quando percebe que foi lesado, já é tarde demais.

“Ao serem contactados, os atendentes, sempre muito solícitos e persuasivos, informam que para a liberação do dinheiro será necessário um depósito prévio, ou pagamento de ‘custas processuais’. Sobre esse tipo de golpe, os últimos que tenho noticias são aplicados por: Unipreve (União de Previdência Privada Brasileira (não confundir com Uniprev), Multi Assessoria Juridica e Consultoria de Fundos e Previdência”, exemplifica.

PRECAUÇÕES

Para evitar a fraude, o advogado reitera as precauções que devem ser tomadas por aposentados e pensionistas. “Esse tema realmente merece muita atenção da AEA porque os golpes são dirigidos e aplicados, em regra, contra a classe dos aposentados. O princípio é o mesmo, ensinado lá nos filmes do saudoso Mazzaropi: fazer a pessoa, a vítima, acreditar que terá vantagem, e no caso a vantagem é sempre polpuda. Meu pai sempre dizia que ‘doce de leite não bate na porta’”, brinca.

Por isso, ressalta o advogado, deve-se desconfiar de qualquer proposta financeira extraordinária. “Em caso de dúvida, procure um advogado da sua confiança e cheque as informações para que não seja mais uma vítima”, aconselha.

Ler 591 vezes
Entre para postar comentários

Um pouco sobre nós

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias) foi fundada em 29 de janeiro de 1983, por um grupo de eletricitários que percebeu a necessidade de unir os aposentados da CEMIG. Em todos esses anos de existência, apresentamos a você uma entidade forte, representativa e consolidada.

 

Saiba mais...

Facebook

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias e promoções.