Artigos


Após o período de férias é hora de voltar ao batente. Para que você se mantenha conectado, a AEA lança novo curso de “Aprimoramento no uso de tablets e smartphones”. Serão duas turmas, divididas em sistema IOS (Ipad, Ipod e Iphone) e Android. As aulas serão nos dias 21, 23 e 25 de julho, às 9h e às 10h30. O investimento é de R$ 40 para associados, e R$ 55 para não sócios.



INCLUSÃO DIGITAL



Outro curso programado é o de Inclusão Digital, módulos I e II. As aulas terão início em 4 de agosto e ocorrerão às segundas, quartas e sextas-feiras, nos seguintes horários: 9h às 9h50; 10h às 10h50; 11h às 11h50. O investimento é de R$ 40 para associados, e R$ 50 para não sócios. As inscrições devem ser feitas na Biblioteca

O título deste artigo é proposital. É uma alusão à campanha eleitoral Obama’s ’08, que mexeu e contagiou boa parte do planeta. A candidatura do presidente estadunidense decolou já nas prévias do partido Democrata e culminou na histórica vitória nas urnas. E é justamente uma prévia partidária, ainda, o sonho do governador mineiro, Aécio Neves.

Sonho cada vez mais distante. Já tive oportunidade de dizer, neste mesmo espaço de opinião, que pagaria para ver se a esperada disputa interna entre tucanos aconteceria. Sigo convicto de que não acontecerá, para desgosto de boa parte do povo mineiro, especialmente dos bairristas, que colocam a vontade de ter um conterrâneo Presidente da República acima de qualquer coisa.

Minha opinião ganha mais força após as declarações dadas por Fernando Henrique Cardoso, nesta segunda, 9. O manda-chuva do PSDB, digo, presidente de honra, falou: “Hoje, as prévias são só uma ideia e ninguém pode ser contra a tese de uma escolha democrática”. Contudo, ele deixou evidente que colocar a ideia em prática será difícil, pois os pré-candidatos (Serra e Aécio) são governadores e têm de trabalhar. “Não podem sair pelo Brasil a fazer prévias e não trabalhar”, finalizou. Tomara que o governador, ou algum assessor, tenha lido esse último lembrete, para não se esquecer do porquê de ter sido eleito para o cargo que ocupa.

Não se pode negar que é um golpe na democracia o fato de a escolha do presidenciável do PSDB ser, de certa forma, imposta. Mas em quase todos os partidos brasileiros a realidade é essa. No frigir dos ovos, impera o cacequismo. A cada momento fica mais clara a predileção no ninho tucano pelo governador de São Paulo. Se é a melhor opção para o partido não sei. Para o país, sei menos ainda. Mas, se os brasileiros tivessem a oportunidade de acompanhar um debate entre os dois governadores, certamente, fariam a escolha ou rejeição com mais segurança. Perde a democracia.

Ouvi de mais de uma boca peessedebista que política tem momento e que a hora é de Serra, até pelo fato de Aécio ser mais jovem, podendo, assim, pleitear a presidência no futuro. Mas se política é momento, o do governador mineiro também é o atual. É hora de medir na prática se seus altos índices de aprovação em Minas podem ser estendidos país afora. Caso seja pragmático e aceite concorrer ao Senado em 2010, ou mesmo à Vice-Presidência na chapa “purossangue” do PSDB, o neto de Tancredo pode perder o trem da história. Estar longe do poder é o mesmo que ficar na sombra. Que o diga o também campeão de aprovação Fernando Pimentel (PT). O ex-prefeito de BH anda sumido, mesmo tendo deixado a Prefeitura há pouco mais de dois meses. Alguém sabe dele?

Seja como for, se o PSDB não se decide, a candidatura Dilma Rousseff ganha força. Cometendo ou não infração à Legislação, a ministra consolida a viabilidade de seu nome. Já até definiu qual será seu visual, sem óculos, menos formal que de costume.
Alterações no Regulamento estão no Portal

As alterações do Regulamento do Plano B (Renda Temporária em Valor Variável, aumento do saque à vista de 25% para 50%, nova fórmula de cálculo do benefício de Melhoria de Aposentadoria por Invalidez ? MAI, alteração no critério de perícia para a concessão da MAI, recebimento de Renda Continuada por Morte - RCM por beneficiários não inscritos) estão disponíveis no link Estatuto e Regulamentos, na seção Navegação do Site.

Educação Previdenciária: equipe da Forluz vai à Januária

Amanhã, 4, a equipe da Forluz das áreas de Previdência e Investimentos realizará mais uma palestra com o objetivo de orientar os participantes sobre os planos previdenciários e investimentos. Desta vez, a ação, que faz parte do Programa de Educação Previdenciária, acontecerá em Januária, na Unidade da Cemig, das 9h30 às 11h30 em evento da Cipa - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes.

Fonte: www.forluz.org.br
Para falar sobre empréstimo, previdência, folha de pagamento, entre outros assuntos que se refiram ao atendimento Forluz, basta enviar uma mensagem para: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.. E para tratar de assuntos institucionais o e-mail é O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Fonte: Forluz


A partir do próximo dia 10 de agosto, terá início o prazo para registro de chapas e inscrições individuais para eleição para Diretoria Executiva e Conselho Fiscal, triênio 2015/2017 da AEA-MG. A documentação deverá ser apresentada no setor de atendimento da Associação (avenida Afonso Pena, 867, conjunto 1701, Centro, Belo Horizonte), impreterivelmente, até as 17h30 do dia 19 de setembro.



Entre os meses de setembro e outubro, os associados receberão, via correios, as cédulas de votação e o material de divulgação das candidaturas. Os votos devem ser reenviados para a AEA, e as despesas postais já estão pagas pela Associação. A apuração será em 19 de novembro.



A votação para o Conselho Fiscal será individual, ou seja, o sócio vai indicar o nome de um candidato de sua preferência. A composição do Conselho se dará da seguinte forma: estarão eleitos os seis candidatos mais bem votados, sendo os três primeiros efetivos e os três últimos suplentes.



Para a Diretoria Executiva, o voto deverá ser indicado para uma chapa, que é composta por oito pessoas: Presidente (a); Vice-presidente (a); Diretor (a) Administrativo (a); Diretor (a) Financeiro (a); Diretor (a) de Promoções; Diretor (a) Social; Diretor (a) para Assuntos do Interior; Diretor (a) de Intercâmbio.



REQUISITOS



Somente poderão se  candidatar ao Conselho Fiscal ou à Diretoria Executiva os sócios da AEA-MG cuja admissão tenha completado três anos antes do dia 19/9/2014, data limite para a inscrição das candidaturas. O associado pode se candidatar para o Conselho ou integrar uma das chapas. Não é permitido concorrer ao Conselho e à Diretoria simultaneamente.



CONSELHO FISCAL



O associado que atende às exigências e que se interessa em participar deverá encaminhar uma correspondência (assinada e datada) para a AEA-MG, declarando-se candidato a uma vaga para o triênio 2015/2017.



Na correspondência, deverá constar nome completo, matrícula, data de filiação na AEA (consta na carteira de sócio), matrícula Forluz, data de admissão na Cemig, último cargo ocupado e local de trabalho na Companhia, além de um telefone ou endereço de e-mail para contato. Anexar à correspondência uma fotografia 3x4.



CHAPA DA DIRETORIA



A homologação da chapa será feita mediante apresentação de um requerimento de candidatura (assinado por um dos integrantes e datado), seguido do nome de cada um dos integrantes e cada um dos respectivos cargos (pela ordem nominal).



Ao requerimento deverá ser anexado plano de objetivos e metas ou proposta de trabalho para o triênio eletivo, além de um resumo curricular de cada um dos candidatos com as seguintes informações: nome completo, matrícula e data de filiação na AEA (consta na carteira de sócio), matrícula Forluz, data de admissão na Cemig, último cargo ocupado e local de trabalho na Companhia e um número de telefone ou endereço de e-mail para contato de cada um dos postulantes aos cargos da Diretoria.



No caso das chapas, os interessados poderão encaminhar, juntamente com o requerimento, uma foto do grupo ou individual. Neste último caso, preferencialmente 3x4.



 


Jornalismo AEA-MG

Desculpar-se é um gesto de grandeza e a melhor demonstração de que se reconhece um erro. Muitos, talvez a maioria, não pensam assim. Por orgulho, sem querer dar o braço a torcer, ignoram suas posições e não se retratam. Estamos diante de uma situação em que vários paladinos dos fracos e oprimidos podem aproveitar para se redimir de leviandades cometidas contra o Presidente da República e o Ministro da Justiça, há quase dois anos.

Durante a disputa dos Jogos Panamericanos Rio 2007, todos se lembram, dois boxeadores cubanos desertaram. O bicampeão olímpico e mundial e campeão pan-americano, tendo no cartel 244 vitórias em 248 lutas, Guillermo Rigondeaux, e o campeão mundial amador, Erislandy Lara, abandonaram a delegação de Cuba no Rio de Janeiro. O resto da história todos sabem.

Encontrados alguns dias depois, os atletas foram deportados para seu país. Vários jornalistas e pensadores, indignados, condenaram Lula e Genro, com a mesma falta de piedade das mais cruéis ditaduras. Ouvimos inúmeras opiniões com o seguinte teor: “Que covardia do governo. Entregar esses pobres rapazes ao impiedoso Fidel Castro e sua tirania”. É bem verdade que, na época, as autoridades de Brasília não se pronunciaram.

Ficou o dito pelo não dito e a sensação de que nossos comandantes cometeram injustiça, aliada a uma incoerência poucas vezes vistas, já que o Brasil não nega refúgio a quem solicita. Haja vista o atual caso do italiano Cesare Battisti. Voltando aos cubanos, após regressarem à ilha, fugiram novamente. Lara foi para os Estados Unidos; Rigondeaux, para a Alemanha. Ambos vivem com tranquilidade e conforto, ganhando dinheiro com o que sabem fazer: lutar.

Há poucos dias, Lara deu sua versão em entrevista à Rede Globo. Disse o lutador que a decisão de regressar a Cuba foi de ambos, uma vez que o plano que tinham inicialmente, fugir para a Alemanha, fracassou. Mesmo sabendo das sanções impostas pela ditadura Fidel, optaram por voltar. O desertor foi além e detalhou uma suposta conversa que tivera com o presidente Lula: “Ele [Lula] me tratou bem. Ofereceu-me tudo o que podia fazer. Ele perguntou seu eu queria ficar no Brasil. Eu disse que não. Queria voltar para Cuba”, finalizou o boxeador. Autoridades do governo brasileiro não confirmaram o diálogo do presidente com o cubano.

O ministro Genro lembrou que, durante o Pan, outros três atletas daquele país pediram e receberam asilo político. No caso de Lara e Rigondeaux, a opção de não ficar foi deles. O governo do Brasil, ao não dar sua versão quando do ocorrido, possibilitou margem às mais diversas interpretações. Mas, já que a decisão de voltar para casa foi dos próprios atletas, nosso país não enfrentaria um desconforto com Cuba, ao se pronunciar favorável ao asilo político dado aos “fujões”. A tática adotada foi a do silêncio. Assim, presumo. Seja como for, é hora de os que têm caráter se desculparem.


As galerias do plenário da Câmara dos Deputados serão ocupadas amanhã por cerca de 2.000 aposentados que chegarão a Brasília em caravanas de todo o país. Eles querem pressionar os deputados federais a colocar em pauta e aprovar o projeto de lei nº 01/2007, que reajusta os benefícios previdenciários com o mesmo índice de reajuste do salário mínimo para 2010 e 2011, independentemente do teto para o qual ele tenha contribuído, sem discriminação.

"Vamos passar o dia todo lá dentro. Se não colocarem o projeto em votação, vamos acampar lá até que coloquem", promete o presidente da Federação dos Aposentados de Minas Gerais, (FAP-MG), Robson Bittencourt.

De Minas Gerais, 300 aposentados de pelo menos cinco cidades vão para Brasília. Um dos ônibus parte da sede da FAP-MG, em Belo Horizonte, às 17h.

Vai-e-volta. O projeto, de autoria do executivo, já entrou em pauta três vezes só neste ano, mas foi retirado em seguida. Por causa de uma emenda do senador Paulo Paim (PT-SP), a proposta teve que voltar para o plenário da Câmara. "Essa emenda que vai ser avaliada concede o mesmo percentual de reajuste do salário mínimo, e por isso o governo não quer que ela seja aprovado", reclama Bittencourt.

A aposentada Elizabeth Marchetti, 64, reclama da defasagem da aposentadoria. "Quem está trabalhando ainda precisa saber que um dia vai se aposentar também. Eu era contra o aumento", lembra a aposentada.

Elizabeth contribuiu durante 36 anos, pelo salário da empresa, e hoje recebe R$ 992. "Para quem tem casa própria não é mal, mas não tenho cartão de crédito, não posso fazer dívida e um dos meus filhos paga o plano de saúde", conta.

Para a aposentada, a próxima geração não vai conseguir se aposentar com 30 anos de contribuição. "Os políticos vão sentir na pele, um dia, o que é envelhecer. Será que o presidente não se lembra das promessas de campanha?", questiona.

De acordo com o presidente da Federação dos Aposentados, o deputado Michel Temer (PMDB-SP) assumiu um compromisso, no último dia 27 de outubro, ao receber uma comissão de representantes dos aposentados, de colocar o projeto nº 01/2007 para apreciação. "O medo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o do desgaste político de ter que vetar um projeto aprovado pela Câmara dos Deputados", acredita.
Processo vai expor o voto do deputado
A votação do projeto de lei nº 01/2007 será aberta e nominal. Isso quer dizer que a população vai saber de quem foram os votos favoráveis, contra e as abstenções dos deputados federais.

A Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas promete divulgar o resultado da votação com o nome dos deputados e partidos que votaram. Como 2010 é ano de eleição, a entidade quer mostrar aos milhões de aposentados e pensionistas como cada parlamentar votou e se merece a confiança do eleitorado idoso. (HL)

Acontece amanhã
- Cerca de 2.000 aposentados vão à Câmara
- A pressão é para incluir na pauta o projeto de lei nº 01/2007, que reajusta benefícios previdenciários com o mesmo índice de reajuste do salário mínimo
- O projeto já foi aprovado no Senado e, por causa de uma emenda, precisa voltar ao plenário da Câmara. Depois, segue para sanção do presidente Lula

Para entender melhor o debate
- No final de agosto, o governo aceitou a proposta das centrais sindicais de conceder um reajuste real (além da inflação) às aposentadorias acima do salário mínimo
- Em janeiro de 2010, será concedido reajuste levando em conta a correção da inflação, medida pelo INPC, mais metade do percentual de crescimento do PIB de 2008, totalizando cerca de 6,2% (ganho real de 2,55%)
- O reajuste real de 2011 seria baseado no PIB de 2009, o mesmo mecanismo do salário mínimo
- A proposta não tem o aval das entidades representantes dos aposentados e pensionistas. De acordo com as entidades, a proposta foi aceita, mas o acordo ainda não foi de fato assinado

Fonte: Federação dos Aposentados e Pensionistas de Minas Gerais, extraído de www.otempo.com.br
Evento religioso marca a celebração do Dia Nacional do Aposentado

Cumprindo o ritual cívico e sagrado de todos os anos, milhares de idosos brasileiros participam em 29 de janeiro, domingo, de Santa Missa em ação de graças ao Dia Nacional do Aposentado, que será celebrada no Basílica de Nossa Senhora Aparecida.

Estima-se mais de 15 mil pessoas presentes. Virão caravanas do estado de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, além de um ônibus do Nordeste (fretado por lideranças do Rio Grande do Norte, Paraíba, Bahia e Alagoas).

A organização está por conta da COBAP em parceria com a FAPESP, FAPMG e FAAPERJ.
A missa será transmitida ao vivo pela TV Aparecida para todo o território nacional. Nesta oportunidade, os aposentados irão ler a "Carta de Aparecida", um documento oficial respaldado pela Igreja Católica, que revela todo o calvário de sofrimento dos idosos brasileiros. Nesta carta também estarão expostas algumas das principais reivindicações da categoria ao governo.

Após a celebração religiosa, de forma ordeira e organizada, os aposentados promovem um manifesto pacífico na cidade de Aparecida/SP.

Da Cobap


Confira a edição número 102 do Jornal AEA-MG. O destaque fica por conta da vitória da Associação nas eleições da Cemig Saúde e Forluz. Com votação expressiva e incontestável, Coletivo de Entidades do qual Associação fez parte elege Diretores de Relações com os Participantes e Conselhos das duas empresas. Campanha vitoriosa contou com a participação de aposentados, pensionistas e ativos que apostaram no projeto apresentado pela Chapa 12 “De Olho na Forluz e Cemig Saúde”.



A AEA também já se mobiliza para o processo eleitoral da entidade, que terá início no próximo mês de agosto, quando serão formadas as chapas para concorrer à Diretoria Executiva e ao Conselho Fiscal, triênio 2015/2017.



Clique aqui e leia a edição completa


Jornalismo AEA-MG

Na faculdade de jornalismo, aprendi que ninguém pode ser taxado de anjo, puro ou demônio até que exista possibilidade de se provar o contrário. Não cabe a nenhum, e muito menos aos profissionais da comunicação, fazer pré-julgamentos. Dessa feita, enquanto houver a mínima chance de a advogada brasileira Paula Oliveira, que disse ter sido atacada por neonazistas na Suíça, provar sua inocência, acredito nela.

E faço com a consciência tranqüila, com base em motivos bem nítidos. Por tudo que foi divulgado, a moça não tem qualquer razão para se automutilar. Ela foi aprovada em um concorrido concurso para trabalhar em uma multinacional naquele país, estava em situação legal por lá e tinha/tem um brilhante futuro. Sem contar que a Suíça é, sim, um país que registra xenofobia. Li uma informação de que, entre 2005 e 2008, foram prestadas cerca de duzentas queixas de agressões sofridas por estrangeiros lá. Calcule quantas outras ocorreram, visto que imigrantes ilegais preferem calar-se com uma agressão à possibilidade de serem deportados.

Seja como for, a situação de Paula se agrava a cada dia. A todo momento surgem indícios de que ela teria forjado as agressões e mentido sobre a gravidez de gêmeos. Inclusive, já teria admitido a farsa a autoridades suíças. E tudo para dar o que se chama de “golpe da barriga”, garantindo sua cidadania européia, uma vez que vivia com um suíço. Caso a mentira seja mesmo confirmada, será mais um duro golpe na reputação que nós, brasileiros, temos na Europa.

Estive lá ano passado e percebi de perto como tratamento a nós dispensado é diferenciado. Para se ter uma idéia, nossos vizinhos latino-americanos, como argentinos, uruguaios e chilenos são muito mais bem vistos. De uma maneira geral, europeus veem os brasileiros como picaretas, preguiçosos e golpistas. Ou, como me disse um português em Lisboa, “os brasileiros são mal quistos por quererem alcançar determinados fins, ignorando os meios para se chegar até eles”.

Em conversa com um sul-coreano, este se mostrou espantado com a quantidade de documentos que temos de apresentar na chega à imigração de qualquer aeroporto europeu. O turista brasileiro, entre outros, tem que mostrar dinheiro, cartão de crédito, reserva em hotel (ou carta convite de alguém que viva lá), além das passagens de volta. Incrédulo, o asiático me disse que apresentou apenas o passaporte ao desembarcar no velho continente.

Evidente que as análises acima são generalistas. Há muitos brasileiros que vão para a Europa de forma idônea e com as melhores intenções. Portam-se de maneira correta e são reconhecidos por isso. Mas não sejamos hipócritas e reconheçamos que há um bando de picaretas avançando por diversas fronteiras com famigerado “jeitinho brasileiro”, jogando na lama nossa reputação, especialmente em uma época em que vemos acirradas certas práticas humanas que acreditávamos estarem enterradas, como a xenofobia.
Pagina 10 de 88

Um pouco sobre nós

A AEA-MG (Associação dos Eletricitários Aposentados e Pensionistas da Cemig e Subsidiárias) foi fundada em 29 de janeiro de 1983, por um grupo de eletricitários que percebeu a necessidade de unir os aposentados da CEMIG. Em todos esses anos de existência, apresentamos a você uma entidade forte, representativa e consolidada.

 

Saiba mais...

Newsletter

Assine nossa Newsletter e fique por dentro das notícias e promoções.